REPARE BEM... PARA VOCÊ VIVER MAIS E MELHOR - conto/auto-ajuda


Carlos F.J. Livino de Carvalho

LANÇAMENTO DIA 21 DE SETEMBRO 07, no estande 225 APPERJ/OFICINA Editores, Rua "L", Pavilhão Azul, Riocentro, às 13:10h, durante a XIII Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, Rio/RJ.

Carlos F. J. (Francisco José) Livino de Carvalho.

Nascido em 24 de abril de 1938, em Niterói, Estado do Rio de Janeiro, filho de Fernando Livino de Carvalho e de Emília de Lamêgo Livino de Carvalho, é Engenheiro Eletricista pela Escola de Engenharia da Universidade Federal de Pernambuco. Como estudante, foi bolsista do Conselho Nacional de Pesquisas CNPq, representante eleito e reeleito de turma no Diretório Acadêmico de Engenharia de Pernambuco, fundador e primeiro Diretor do seu Jornal Acadêmico “ALICERCE” com diversos artigos, poemas e reportagens de sua autoria nele publicados. Foi estudante estagiário em onze empresas ligadas à sua profissão. Como Engenheiro, foi Assessor Técnico do Instituto de Pesquisas da Marinha; Assessor do Governo do Estado do Rio Grande do Norte; Fundador e primeiro Diretor Técnico e Presidente da Companhia Energética do Rio Grande do Norte - COSERN, no período em que foram ligadas as primeiras cidades do Estado, inclusive Natal, com a energia elétrica de Paulo Afonso; Presidente da Companhia Energética do Piauí – CEPISA no período em que foram ligadas as primeiras cidades do Estado, inclusive Teresina, com a energia de Paulo Afonso; Diretor das Centrais Elétricas Fluminenses – CELF, como representante da ELETROBRÁS, empresa esta da qual foi depois Assessor de Diretoria por dezessete anos até se aposentar.Exerceu várias funções e representações no Brasil e no exterior em nome daquela estatal federal e Holding do Setor Elétrico Brasileiro. É autor de diversos relatórios e trabalhos técnicos e administrativos, alguns defendidos em Congressos e Seminários realizados dentro e fora do País. Fez vários cursos de especialização e aperfeiçoamento, inclusive Doutorado na Escola Superior de Guerra. Realizou palestras em diversas instituições no Brasil e no exterior sobre assuntos técnicos a administrativos de sua especialidade. Tem diversos artigos e trabalhos publicados inclusive na Revista Brasileira de Energia Elétrica, em anais de Conclaves e Cursos e mais recentemente no livro “Mário Bhering – Memórias do Setor Elétrico Brasileiro” e no Jornal Folha Dirigida, do Rio de Janeiro.

AOS FILHOS

(É famoso o belo poema “Aos Pais” de Kahlil Gibran. Mas, em sua opinião, quem o lê mais? Os pais ou os filhos? Na segunda hipótese, que efeitos terá sobre eles, os filhos? Não creio que sejam bons, pois certamente o poema será tido como fundamento para crítica, ressentimento e acirramento dos conflitos acaso existentes entre esses filhos e seus pais, como já pude testemunhar. Por isso decidi escrever, a título de glosa, um poema dirigido aos filhos, usando como mote o “Aos Pais” de Gibran):

Glosa ao verso 1: Vossos pais serão sempre e terão sempre sido vossos pais.
Glosa ao verso 2: Em vossas vidas, mais distantes no porvir, tudo neles poderá ser aperfeiçoado através de vós.
Glosa ao verso 3: Mesmo depois de terem vivido, eles viverão em vós, em vossa atitude, inclusive para com eles.
Glosa ao verso 4: Com vosso amor, compreendereis seus pensamentos e vos fareis tolerantes e respeitosos ao tratar com eles.
Glosa ao verso 5: Porque isso é possível, sem renunciar a vossos próprios pensamentos.
Glosa ao verso 6: Recebereis com carinho o abrigo que eles vos souberem ou puderem dar e com o melhor de vossos corações e de vossas consciências, dar-lhes-eis também abrigo na velhice.
Glosa ao verso 7: Com vossas almas, servireis de farol para que eles sonhem e vejam o amanhã, esse amanhã que vivereis sós, mas com a lembrança confortadora de vossos pais.
Glosa ao verso 8: E o vosso amor por eles fará com que sejais como eles, mesmo sem o perceberdes.
Glosa ao verso 9: Mesmo sendo sempre vós mesmos e vivendo novos tempos.
Glosa ao verso10: Sois como o caudal que deixa os arroios - vossos pais - para trás, mas que é feito deles. E o caudal é os arroios, apenas maior, mais forte, adiante deles.
Glosa ao verso 11: A natureza vos fez, de vossos pais, a parte que continua.
Glosa ao verso 12: Que essa condição maravilhosa vos impila para frente,
Glosa ao verso 13: Para que sejais em breve e, também com amor, continuados por vossos próprios filhos.

Mais informações pelo e-mail: oficinaeditores@oficinaeditores.com.br

grade de lançamento

generico cialis levitra senza ricetta viagra costo levitra acquisto cialis senza ricetta kamagra acquisto cialis prezzo kamagra italia acquisto kamagra comprare viagra acquisto levitra acquisto viagra viagra generico viagra comprare viagra acquisto levitra prezzo generico viagra cialis generico levitra generico